Thursday, 20 February 2014

Luz e Sombras (The Grisha #1)

Luz e Sombras
Leigh Bardugo
1001 mundos
312 páginas

Bem este livro foi uma desilusão, muito por culpa das constantes 4-5 estrelas que via no Goodreads (sim a culpa de ter sido uma decepção é toda minha enquanto leitora e não da autora). A verdade é que até estava toda expectante em relação ao world-build e à personagem principal, que no fim, tudo pareceu demasiado corrido e com pouca profundidade. Mas vamos por partes, primeiro o que achei que estava aquém.


- Love interest: o love interest está pouco ou nada desenvolvido. Alina e Maly não têm nada em comum (tirando que são ambos órfãos) e por algum motivo ela começa a gostar dele. Assim, sem mais nem menos. As cenas do regimento militar são muito poucas e nem dá para entender muito bem o que está a acontecer. Entende-se que Alina protege o seu “amigo de infância”, mas não se entende porque é que ela começa a gostar dele;


- O World-build: Uma série YA que não se passa nos EUA é bom, certo? É, e a cena do worldbuild ser inspirado mais na cultura russa é interessante. Contudo tudo parecia tão atirado à minha cara como tipo: olha acontece isto e nós vestimos isto e fazemos isto… Cool, I guess? Somos literalmente atirados para um mundo rico com tantos detalhes a acontecer ao mesmo tempo, que tive de alterar o meu poder de absorção para o máximo. O bom do world-build é que tem um potencial enorme e a autora pode vir a desenvolvê-lo, mas com calma!


- A cena dos Grisha e da escola á-la Harry Potter: srsly? Fiz um facepalm tão grande quando me vi subitamente transportada para “uma escola” onde a Alina faz sempre birra por “não querer ter o poder” e não o querer usar. Miudinha irritante! Porque é que os chosen-one são sempre meninas que nunca querem ser os escolhidos? Com tanto pessoal a querer salvar o mundo, calha sempre aos chatos! Para já não entendi a necessidade desta parte, mas espero que a autora explique mais à frente.


Agora aspectos positivos:
- O vilão! O vilão!: Amo-o, adoro-o! Quero destruir o mundo com ele e criar o apocalipse juntos! Ele é giro (embora supostamente velho), muito mau, terrível, manipulador e eu apaixonei-me perdidamente por ele. Só me apeteceu dizer: deixa a gaja que não quer o poder e vamos ser evil e cruéis juntos!


- A plot: Tirando a cena da escola Harry Potter, que pareceu enfiada a martelo, os twists (para quem não leu a sinopse) deixam-nos de queixo caído a querer ler mais para ver se o vilão vai ganhar.


Aviso já que só vou ler esta série enquanto o Darkling aparecer, se ele morrer faço beicinho, viro fangirl histérica e nunca mais pego na série. Portanto, se querem ter o queixo caído, adoram vilões mesmo vilões e não se importam com personagens clichés meias tontinhas, esta série é para vocês! Se não gostam de personagens meias tontas, leiam por causa do vilão à mesma. E quero ver quem é que também quer virar má e se juntar ao Darkling!




Só ela consegue vencer as trevas... Rodeada por inimigos, a outrora grande nação de Ravka foi dividida em duas pelo Sulco de Sombra, uma faixa de escuridão quase impenetrável cheia de monstros que se alimentam de carne humana. Agora, o seu destino pode depender de uma só refugiada. Alina Starkov nunca foi boa em nada. Órfã de guerra, tem uma única certeza: o apoio do seu melhor amigo, Maly, e a sua inconveniente paixão por ele. Cartógrafa do regimento militar, numa das expedições que tem de fazer ao Sulco de Sombra, Alina vê Maly ser atacado pelos monstros volcra e ficar brutalmente ferido. O seu instinto leva-a a protegê-lo , e ela revela um poder adormecido que lhe salva a vida, um poder que poderia ser a chave para libertar o seu país devastado pela guerra. Arrancada de tudo aquilo que conhece, Alina é levada para a corte real para ser treinada como um membro dos Grishas, a elite mágica liderada pelo misterioso Darkling. Com o extraordinário poder de Alina no seu arsenal, ele acredita que poderá finalmente destruir o Sulco de Sombra. No entanto, nada naquele mundo pródigo é o que parece. Com a escuridão a aproximar-se e todo um reino dependente da sua energia indomável, Alina terá de enfrentar os segredos dos Grisha... e os segredos do seu coração.


1 comment:

  1. Olá!

    Estou de acordo contigo em todos os aspetos. Também já li e já fiz a minha review e também refere várias dos factores que referes aqui. Não achei espetacular, como estava à espera, por causa do pouco desenvolvimento que a autora dá ao contexto e às personagens principais, principalmente a Alina.

    Há partes que não são aprofundadas e parece que aparecem do nada. Espero que mude.

    Mas o Darkling...uh! Ele é bom!

    ReplyDelete