Thursday, 28 February 2013

Tell me a story #2

O segundo post da rubrica "Tell me a story" desta vez com a já conhecida Carrie Vaughn e João Barreiros! Só para não dizerem que não há diversidade, seus malandros!

Passatempo com vampiros! *nom*

Enquanto estou a rastejar pelo chão por causa da gastrite, a ler o Ana Karenina e a procurar empregos (como tipo todos os portugueses com um mestrado), decidi lançar mais um passatempo.


Tuesday, 26 February 2013

A minha primeira experiência na publicação

(Este texto foi publicado no blogue Mad woman in the attic a 17 de Agosto de 2012)

Bem muita tinta tem corrido por causa das vanities/pods/editoras tradicionais. Este post é apenas para falar sobre a minha breve experiência de publicação. 

Sunday, 24 February 2013

Tell a story #1: Mad scientist's guide

The mad scientit's guide
to world domination
Goodreads
Amazon | Bookdepository
Down these strange
streers
Goodreads
Amazon | Bookdepository
Se acordar antes de
morrer | João Barreiros
Goodreads
Wook | Betrand















Para estrear a rubrica do "Tell a story", que consiste num conjunto de críticas a contos tanto nacionais, como estrangeiros, seleccionei três livros. Down these strange streets é uma antologia de contos organizada pelo "muy" famoso George R. R. Martin (autor de A song of fire and ice) e Gardner Dozois (editor da colecção The year's best science fiction). Nas próximas semanas irei ler os contos e fazer um post com a crítica. Ao mesmo tempo ando a ler outra antologia The Mad Scientist Guide to World's Domination: original short fiction for the modern evil genius, organizada por John Joseph Adams (editor das antologias The Living dead e Wasteland com o George R. R. Martin). Como não queria deixar os autores portugueses de lado, junta-se à rubrica Tell a story, o autor nacional João Barreiros.

Para poderem ver depois as críticas aos contos nos labels estarão os títulos das antologias, onde se encontrarão as críticas aos contos.

Há dois nomes que aparece em ambas as antologias - Diana Gabaldon e Carrie Vaughn. De Diana Gabaldon já li o Outlander: nas asas do tempo e foi uma leitura penosa e terminou comigo em fúria por o fim ser um emaranhado romântico cheio de disparates. Da Carrie Vaughn li o primeiro da série Kitty e adorei! Vamos lá ver como se portou a menina Galbadon nas duas antologias.


The Mad Scientist Guide to World's Domination

Harry and Marlowe meet the Founder of the Aetherian Revolution
Carrie Vaughn

There are steampunk villains, and then there are steampunk mad scientist villains, who bring a certain panache to their evil-doing . . . although maybe it's just the goggles and frock coats.    Our next story toes the waters of the steampunk subgenre, pairing the granddaughter of Queen Victoria against the crazed inventor of a powerful new technology. The story's roots, however, lie in the kinds of classic adventure stories Sir Arthur Conan Doyle, Robert Louis Stevenson, and Wilkie Collins were writing at the turn of the twentieth century.    Carrie Vaughn admits a love of those Victorian adventure stories, and says, "I've been wanting to tell the story of a not-so-prim Victorian woman adventurer for a long time, and the setting here gave me a fun way to do that. This is an alternate history— an alien spacecraft crash landed, Roswell-like, in England in 1869, and a vast new technology was reverse-engineered from the debris." It's the perfect setting for a little madness.    Here we give you a princess with a purpose, a mansion with a secret, and a doctor with a plan. It's a madcap adventure with a proper British accent.


Oh miss Vaughn, you had me at the "It's not easy being a tentacle." Apesar da narrativa terminar de forma abrupta e de não haver muita empatia com as personagens, temos vontade de saber mais do mundo e as personagens demonstram alguma personalidade. O worldbuild é competente (oh the tentacles), mas queremos mais! Especialmente depois de ler a Kitty! Um conto engraçado, que podia ser bem melhor.

The space between
Diana Gabaldon

They did say that red hair was a sign of the devil.




First of all, thank you mrs. Gabaldon *.* That was the best compliment addressed to me.
Ao ler o conto a minha mente derivou sempre para o cenário do anime Trinity Blood/ Chrono Crusade, mas sofrendo do problema da prosa de Gabaldon: conversa fiada eterna. Muita conversa, demasiado show, tanto show que chega a ser secante e uma pessoa quer urgentemente que haja alguma coisa de realmente importante, pouca acção e o world domination's vai no batalho. O que é pena, porque eu sou viciada em histórias com freiras assassinas e tentativas de conquistar o mundo. Sorry, mrs. Gabaldon, this one was terrible!

[CINEMA] Gangster Squad

Adoro este poster *.*

Embora o filme esteja a receber críticas negativas, julgo que consegue mostrar ao espectador aquilo que se propôs no trailer: uma história de polícias atrás de um mafioso. Tudo o que viria a mais, seria encarado como bónus. Se formos ao cinema sem que o peso dos actores nos pese nos ombros e esperemos algo magnífico por ter um Sean Penn, Emma Stone e Nick Nolte no poster, iremos sair certamente desiludidos e à espera de algo mais. Mas isso nunca acontece, porque afinal Gangster Squad é apenas uma desculpa para vermos polícias vestidos à época e perseguições em pó-pós antigos!

Friday, 22 February 2013

Tidy Friday #1


AH sexta-feira! O dia em que as pessoas que ainda têm emprego em Portugal adoram. Mas antes de ir para a farra e fechar os blogues durante dois dias para noticiar à família que sim, ainda estamos vivos, vamos arrumar as prateleiras (in a very non-sexual perverted way). Na rubrica da Tidy Friday falamos sobre o que se passou durante a semana na blogosfera portuguesa, sobre lançamentos E sobre as leituras. Yup é mesmo dia de limpeza!

Wednesday, 20 February 2013

Contos de amor, loucura, desejos e paixão

Poesia e contos: Só de amor
Colecção "Frente e verso" | Visão
Maria Teresa Horta
Editora: Publicações Dom Quixote
224 páginas

Peço desculpa pela brevidade da crítica de cada conto, mas se fosse a escrever um texto longo seria bastante aborrecido. Antes que me perguntem: adorei a antologia tanto de contos, como poesia e um grande obrigado à Sandra Sousa do blogue "Mil estrelas no Colo" pelo livro! Foi uma linda prenda de Natal!

CONTOS:

Mónica

“Mónica gostava que ele lhe metesse as mãos entre as pernas enquanto ainda estava vestida: os dedos a afastarem a seda das meias, a tentarem alargar o cinto de ligas, a deslizarem na pele macia das coxas, a insinuarem-se já pelo caminho de pêlos até à humidade quente dos lábios grossos salientes e largos da vagina, onde sentia pulsar um perturbante coração afastado.”

Mónica é uma mulher/adolescente? de temperamento frágil, que seduz lentamente Pedro, um médico. Tortura-o, deixando-o louco e desejoso de a possuir. Os desejos de Mónica é várias vezes intercalados com referências a Mahler: um compositor austríaco. Um conto que segue uma estrutura pouco convencional, mas é a prosa é bastante característica de Maria Teresa Horta.

Morde-me

Morde-me
Emily Maguire
226 páginas
Editora: Oceanos

Sinopse:

A vida de Sarah Clark, boa aluna e bem comportada, muda para sempre quando aos 14 anos é seduzida depois das aulas pelo professor de Inglês, Daniel Carr, vinte e quatro anos mais velho do que ela, casado e com dois filhos. Mr. Carr não se limita a declamar poemas nas aulas e a transmitir aos seus alunos o amor pela poesia de Shakespeare. É um homem perigoso: seduz e envolve a jovem Sarah numa paixão irreprimível e perversa, feita de jogos e prazeres extremos. De repente, Daniel muda-se com a família para outra cidade e desaparece da vida de Sarah. Durante oito anos, Sarah envolve-se numa espiral de experiências sexuais, passando de um homem para outro na tentativa de reencontrar a intensidade da paixão que sentira com Daniel Carr. Quando este volta a entrar na sua vida, Sarah vê-se de novo envolvida numa relação fechada e doentia, em que Daniel dita as regras e ela obedece com medo de o perder de novo. Até um dia…

Friday, 15 February 2013

Vencedor(a) do Passatempo de S. Valentim

Bom dia! Espero que tenham tido um óptimo dia de S. Valentim :) Eu dei cabo de uma lasanha e ainda comi pão de alho com queijo e bacon (hmmmm oink oinks gratinados). Hoje, como previsto venho anunciar o vencedor deste passatempo, neste caso vencedora! E a sortuda, é

Parabéns Marcelina Leandro (6)!



Obrigado a todos que participaram e às Publicações Europa-América pelo livro! Em breve haverá um texto sobre este livro e para a semana (juro-vos que tentei terminar hoje o Anna Karenina, mas tenho a Nanozine 8 mesmo à porta e foi impossível, tenho estado a rever e paginar tudo, já tenho os olhos em sangue de ver tanto Photoshop à frente!) 

Mesmo assim não percam a Nanozine 8 onde vêm reviews de livros eróticos das Publicações Europa-América da Colecção "Grandes clássicos eróticos".

Monday, 11 February 2013

O velho do rio sem nome

O Velho do Rio Sem Nome

Nova obra de Vítor Burity da Silva na colecção Literatura Plural

A Porto Editora publica, em Portugal, a 18 de Fevereiro, O Velho do Rio Sem Nome, de Vítor Burity da Silva. O quarto livro do escritor angolano na colecção Literatura Plural, dedicada a autores africanos, estará também à venda em Angola e Moçambique através da Plural Editores.

Este é um título que reafirma a força da prosa poética de Burity da Silva. Em 2009, quando a Porto Editora publicou as primeiras obras deste autor, Pepetela afirmou (sobre Este Lago Não Existe): «Digam o que disseram os doutos da literatura e os sábios da cidade, este livro é para mim um longo poema de amor, onde uma frase por vezes irrompe em explosão e uma palavra surge inesperadamente para nos surpreender… e encantar».

O Velho do Rio Sem Nome sucede a Rua dos Anjos (2009)
Este Lago não Existe (2009)
Novembro (2010).

O velho do rio sem nome
Vítor Burity da Silva 
Coleção: Literatura Plural
304 páginas
PVP: 14,40 €
Ler excerto aqui

Sinopse

«Ao longe uma silhueta descontraída, vestida de tarde, um homem subia a ladeira na calma amarelada do dia que suportava uma beleza silenciosa. Um velho com os seus noventa e um anos (a idade não serve só para envelhecer), magro, de mãos enrugadas, vestido de negro, rosto cansado pelos tantos anos já vividos sobre aquela face que, tantas tardes, como aquela já viu e viveu. Sobe com a energia possível, carregado de umas folhas verdes que apanhara nas margens do rio Kuanza, chega ao cimo transpirado. Não o percebo nem o entendo, mas confio no saber dos anos. A este, dei do meu comer, e dele a inspiração para este título: O Velho do Rio Sem Nome».

O autor

Vítor Burity da Silva nasceu no Huambo em 1961. Estudou jornalismo em Portugal, país onde viveu de 1975 a 2011, primeiro em Lisboa e depois no Porto. Regressou definitivamente ao seu país natal, Angola, em 2011. Exerce a função de director das bibliotecas da UniA (Universidade Independente de Angola) e do ISPI (Instituto Superior Politécnico Independente), no Lubango. Colabora regularmente com o Jornal de Angola e o Jornal da Cultura.

Livro/poema lindíssimo sobre as pessoas onde os diálogos são expressão de exímia arte nos trocadilhos plenos de sentido.
Os Meus Livros, sobre Rua dos Anjos

Estas duas novelas são fortemente marcadas por um ambiente fantasioso de sonhos e utopias.
Jornal de Letras, sobre Rua dos Anjos e Este Lago Não Existe

Vítor Burity da Silva, angolano, nascido em 1961, explora bem as qualidades e defeitos de se ser Homem, recorrendo a uma linguagem simples, em prosa, que se lê de uma só vez, com prazer.
Diário Digital, sobre Rua dos Anjos

A metáfora da condição (des)humana em Rua Dos Anjos repete-se em Este Lago Não Existe. O autor das obras, Vítor Burity da Silva, constrói agora um enredo de ilusões e imaginação.
África Today, sobre Rua dos Anjos e Este Lago Não Existe

Wednesday, 6 February 2013

Leituras românticas

Já está no Youtube os dois vídeos sobre leituras românticas!

A primeira parte



Passatempo de São Valentim (com o apoio Europa-América)

Estamos quase a chegar ao famoso 14 de Fevereiro e, no Illusionary Pleasure com o apoio da Europa-América, gostaríamos de celebrar esta data com um dos livros mais românticos de sempre (e um dos meus favoritos), "António e Cleópatra" de William Shakespeare.


As regras são simples:

  •  O passatempo termina dia 14 de Fevereiro de 2013 e o vencedor será anunciado da parte da tarde de dia 15.
  •  Só serão tidas em conta as participações com as repostas correctas.
  •  Só são aceites participações de Portugal (continental e ilhas).
  •  Será aceite apenas uma participação por pessoa.



Sunday, 3 February 2013

[QUICKIE] Dark lover/ Na sombra da noite

Dark Lover
(tendo em conta o nome das personagens, os títulos nem são maus!)
Na sombra da noite
J. R. Ward
Black dagger brotherhood I
Edição: 2005
Editora: Signet / Casa das letras

Sinopse:
Nas sombras da noite da cidade de Caldwell, em Nova Iorque, trava-se uma guerra territorial entre vampiros e seus caçadores. Ali existe um bando secreto de irmãos sem igual – seis guerreiros vampiros, defensores da sua raça. Mas nenhum deseja mais a morte dos seus inimigos que Wrath, o chefe da Irmandade da Adaga Negra. Único vampiro de puro-sangue que resta no mundo, Wrath tem contas a ajustar com os matadores que lhe levaram os pais, séculos atrás. Mas quando um dos seus mais estimados combatentes é assassinado – deixando órfã uma filha meio-sangue desconhecedora da sua herança e do seu destino – Wrath tem de tratar do acolhimento da bela fêmea no mundo dos não-mortos. Transformada por uma inquietude no seu corpo que não conhecia, Beth Randall não tem defesas contra o homem perigosamente excitante que vem visitá-la durante a noite, com os olhos encobertos. As suas histórias de irmandade e sangue assustam-na. Mas o seu toque acende uma fonte crescente que ameaça consumir ambos.

A obra de Miguel Miranda

Todas as cores do vento
Miguel Miranda
Edição: 2012
200 páginas
Editora: Porto Editora

Sinopse:
No mesmo prédio habitam um poeta, um judeu ortodoxo, um palestiniano, uma testemunha de Jeová e uma mulher agnóstica. E um gato. Cada um vive encerrado na sua masmorra, exceto o gato, que será testemunha das tensões, ódios, paixões e conflitos religiosos que surgirão entre os inquilinos. Num quotidiano tantas vezes mais absurdo do que seria de crer, gera-se o preconceito, as pequenas obsessões agigantam-se, e os personagens tornam-se sobreviventes de uma guerra contemporânea.
Todas as Cores do Vento constrói, com grande delicadeza e precisão, uma trama tensa e forte, revelando a mestria de um escritor que já nos habituou ao seu olhar sobre o mundo: atento, inteligente, perspicaz e crítico.

Liebster Award

Um grande merci às meninas: Maria, Cláudia Sérgio e à minha gémea perdida Patrícia Santos do blogue Girl in Chaise Longue pelo selinho fofo! Passei a última hora a escrever e a partilhar um pouco da loucura. Haja alguém que se vá rir com isto!



O Liebster Award foi criado para promover blogues com menos de 200 seguidores e tem como missão dar a conhecer novos espaços que acreditamos serem merecedores de atenção. Mas receber este selo não implica apenas festejar! Existem algumas regras para cumprir, são elas: