Wednesday, 11 December 2013

Segredos e mentiras - O primeiro beijo


Eloisa James e Cheryl Hoyt são duas autoras de romances bem conhecidos para o público português. Ambas têm publicado bastantes obras dentro do romance e isso reflecte-se bastante nestes dois contos, que ora parecem apressados, ora retirados de um naco de um livro ou então com finais em aberto, talvez para depois continuar.O problema é que um conto (a menos que tenha regras bastante específicas, como limite de palavras, etc), não é o mesmo que um romance. Existe menos espaço, a estrutura tem de ser diferente e o que as duas autoras tentaram fazer foi contar um mini-romance apressado.

Cheryl Hoyt VS. Eloisa James


 O romance entre Jas e Linnet é bastante seco e apressado, a autora devido à falta de espaço, opta por contar como o romance deles começou, mas salta partes importantes. O conto começa bem com um mistério: onde está Linnet? Mas o que poderia ser um mistério, acaba por ser resolvido de forma fácil e rápida para dar lugar ao mistério do livro a ser publicado e dá a chance de mostrar que Linnet é linda e, embora não seja da aristocracia, podia pertencer simplesmente por ser bonita. A autora foca no início do conto a inteligência de Linnet, contudo este conto sofre do síndrome de conto de fada: começa com a protagonista inteligente, acaba com ela bonita, a tomar atitudes que não se compreendem apenas para causar conflito. Ainda assim o conto tem um pseudo-princípio, um meio e um fim. Seria uma boa história para um romance, para conto fica muito apressado e falta de peripécias.
Jas Griffin, filho do duque Summerton, apaixonou-se por Linnet Chandros, uma plebeia, e o duque decide banir o filho de casa, obrigando-o a ganhar a vida. Jas vai trabalhar para uma editora, onde lhe chega às mãos um manuscrito explosivo que conta as aventuras indecorosas de um nobre, e todos os seus casos amorosos com senhoras da alta sociedade. O que terá ele de fazer para convencer o patrão a aceitar a publicação do livro e garantir assim a sua subsistência e da mulher que ama?




Yup não há muito mais a dizer do que está na sinopse, basicamente a história é essa: Clarinda vai atender a um doente, Aiden andou a lutar numa taberna, ambos se encontram, ela leva-o para casa de Tristan, cura as feridas e beijam-se... E de um momento para o outro notamos que isto não é um conto, mas sim um início de romance. Não há conflito e embora a autora não abuse tanto do tell, o fim parece incompleto e insatisfatório. Como início de romance funciona, como conto... nem por isso.

Clarinda Dudley é uma curandeira e «feiticeira» que viajou sempre com o irmão mais velho, Phillip. Ao longo da vida de Clarinda, as suas principais tarefas foram manter o irmão longe de sarilhos, longe da prisão. Clarinda separou-se recentemente do irmão e está a viver na encantadora mansão rural escocesa do seu amigo capitão Tristan Odell. Aiden Bramwell é o irmão mais novo do conde de Roxbury. É um capitão experiente da marinha que - para horror da família - está envolvido no comércio. Dono de vários navios, usa-os para construir a sua própria fortuna de modo que, quando casar, possa fazê-lo como homem rico, sem ter de implorar por dinheiro ao irmão mais velho. Clarinda e Aiden vêm de mundos diferentes e têm personalidades muito diferentes, até que os seus caminhos se cruzam na véspera de Natal...

And the winner is...

Eloisa James

1 comment:

  1. Graça a ti, descobri um livro cuja personagem principal tem o meu nome! Incrível!!!!!!!

    Tenho um miminho para ti aqui, espero que gostes.
    bj

    http://lerviverler.blogspot.pt/2013/12/vida-noutro-blog-88.html

    ReplyDelete