Friday, 1 November 2013

Tidy Friday 23#



Aiii dêm-me tau tau, que estou em falta para convosco! Má Ruiva, repitam comigo: má ruiva. Se estivesse aqui o Grey... Dava-lhe um encherto de porrada à mesma! Bem, mas desta vez tenho desculpa, foi semana de Halloween e começou o NaNoWriMo e consegui ler um livro! A review como é óbvio só vai aparecer lá para segunda e marca o regresso da série “Em busca do Médio Oriente”, para quem já estava com saudades. Para além disso estou ainda a terminar os 1001 cursos em que me meti e regressei à paginação... Estão a ver a minha vida? -.-” Eu até queria ter tempo para poder sair de casa e aproveitar o tempo livre para passear, espairecer, ter epifanias ao sol, apanhar Vitamina D na fuça para ficar linda e menos pálida, mas acho que isso não vai acontecer em breve.

Para além disso gostaria de agradecer bastante a todos os que leram o meu conto e escreveram uma review honesta, aos que me deram nas orelhas e aos que disseram que gostaram muito - muito obrigado/a.

Relembro que Domingo haverá um hangout comigo para discutir o meu conto “Uma questão matemática”. Em princípio será no Skype para o pessoal poder falar à vontade.

NaNoWriMo... Oh não, chegou aquele tempo do mês!

Siiiiim!!! E eu digo mesmo é desta meninos. Posso pegar em três projectos: uma distopia com time-travel que deixei porque não estava a gostar de como estava a escrever; a minha fanfic da Belladonna que estou sempre a reescrever, nem eu sei muito bem porquê e a novela que estou a escrever agora. 

Ora bem depois do feedback do meu conto na Antologia Amores Contados, decidi que este meu novo livro será um paranormal muito bem comportadinho sem sexo e com poucos palavrões. Para já o livro chama-se Máscaras de pedra e tive esta ideia há algum tempo quando escrevi um conto para o Fantasy & co. O título para ja é provisório e irá mudar visto que não gosto nada dele e acho-o seca mas adoro as minhas personagens! A história passa-se na minha terra: Arcozelo CITY. É um sítio que tem bastantes lendas e partes marcantes e conheço bastante bem (afinal moro aqui desde os 7 anos) e aproveitei uma localidade para me distanciar das grandes cidades. A acção passa-se no centro de Arcozelo, no Sr. da Pedra, Miramar e por vezes Gulpilhares e Espinho.

A história ainda está muito no início, ainda só planeei nove capítulos e para já foca-se na tensão entre Ricardo e Adelaide. Ricardo é uma gárgula, cuja função é proteger a vila durante séculos e conta com a sua parceira, Isabel, uma sucubus que trabalha com ele na Policia Paranormal, para manter os seres fantásticos longe dos holofotes. Sempre que há um homícidio macabro, Ricardo e Isabel entram em acção. Mas isso não significa que por vezes eles nao se metam em alhadas e por isso, o chefe acha que eles precisam de ter contacto com um lado mais humano e por isso, contrata Adelaide, uma inspectora que, como é óbvio esconde alguma coisa do seu passado.

Dois corpos dão á costa e os três têm que descobrir o que se passou, entretanto Adelaide recebe ameaças de morte e a nova missão de Ricardo passa a ser protegê-la. Ele odeia-a, acha o seu optimismo e bom humor irritante. Isabel, apoia Adelaide e é muitas vezes sua aliada.

Ricardo é uma gárgula mal disposta, não gosta de humanos talvez porque nunca ninguém lhe perguntou se os queriam defender e não tem coração. No entanto, durante a história muitas vezes depara-se a instintivamente proteger Adelaide. Tem a cara marcada com cicatrizes, o cabelo comprimido, orelhas pontiagudas e olhos vermelhos. Segundo Adelaide ele mede dois metros e sempre que fala ela estremece.

Adelaide é uma humana estilo Selphie (FF8), super querida, fica cheia de medo quando vê o Ricardo, mas com o tempo habitua-se a responder-lhe à letra, coisa que ele odeia. Só José (director da PP) sabe o segredo dela. Mora sozinha. É inteligente, individualista, fala pelos cotovelos e aparece sempre no local do trabalho com a sua termus e torradas.

Isabel é uma sucubus, linda, sarcástica e com um sentido de humor narcisista. Apoia a Adelaide e muitas vezes chama o Ricardo à razão. Normalmente é ela quem fala à comunicação social porque diz que fica sempre bem no ecrã e todos a adoram... Menos Ricardo, que a tolera. Adelaide fica encantada com a beleza, mas é a personalidade por vezes surrealista de Isabel que a conquista.

Bem, espero que vos tenha aguçado o apetite ^^ Espero terminar a novela e adianto que haverá um segundo livro, onde a Isabel vai ser a personagem principal (sim estou competamente apaixonada por ela!)

Resumos de duas páginas

Bem, o tema desta semana vai ser os resumos de duas páginas, aqueles que costumamos enviar às editoras aquando um manuscrito.


O que devemos ter:


  • Título + Autor + Nr. Total de palavras que o manuscrito tem + Género (YA, erótico, etc)
  • Resumir APENAS os acontecimentos essenciaisIsto pode parecer muito difícil à primeira vista, mas hey easy trick: dividam o vosso livro em Príncipio - Meio - Fim e escrevam em tópicos tudo o que se passa de importante nessas três partes.
    Se se esquecerem de coisas ou não era suficientemente importante ou precisam de tomar Memofante!
  • Estilo de escrita: simples e directo ao assunto. Save the purple prose for the novel! Ó que se lixe, deitem a coisa roxa fora! Não há nada pior do que ler um resumo com imensos adjectivos e advérbios. Keep it clean and simple.
  • Começa no início... e termina no fim! Não há nada mais simples, começar com o problema inicial e terminar mesmo no fim da história para o editor analisar. Muitas vezes os autores perguntavam-me se não era melhor manter o mistério... Weeell, o editor pode sempre parar de ler ali, mas imaginem que termina com um cliffhanger e o editor não quer apostar numa sequela. Poupam trabalho à criatura de ler 300-400 páginas e depois: ah espera isto há sequela? Então não quero! Contem a história toda, que morre, quem fica vivo, quem perde um olho etc.
  • Não escrevam mais de 2 páginas: Um dia, a minha querida professora Ana Luísa Amaral, pediu-nos para escrever um relatório, que deveria ter 15 páginas, em duas! Tive um AVC... 2 páginas? Num tema que dava para uma tese de mestrado? Foi aí que a professora disse-me que o difícil não era escrever sobre os temas, mas sim sumariar e cortar as gorduras. Focar no que realmente é importante e não divagar. Passei meses a escrever aquelas malditas duas páginas, mas consegui e adorei-as e tirei uma excelente nota! E agradeci não ter de escrever 15 páginas, mas sim apenas duas. Tive o dobro do trabalho, mas consegui focar no essencial. Este resumo é igual, se fosse demasiado grande, o pessoal começava a divagar. Os autores conhecem a história melhor do que ninguém e quemm melhor do que o autor para a contar. Não é uma sinopse de um parágrafo, mas sim um recontar da história de forma breve.
  • Não analisem a história durante a sinopse: É foleiro e corta toda a piada ao editor, que em vez de estar a analisar a história está a ler teorias. A menos que sejam teorias que sejam fulcrais para o desfecho ou início da história, leave it aside.
  • Mais importante: Façam de conta que a vossa história é super emociante e espectacular. Até pode não ser o novo Harry Potter e até pode nem ser uma histórias linda e maravilhosa mas isso não importa. Temos de notar paixão na história, a escrita e na forma como o autor apresenta. Enviaram o manscrito para o publicar, não para ficar na gaveta, covençam o editor de que a vossa história merece ser publicada e não ficar no computador! O que é que a vossa história tem de diferente? O que acrescenta no mercado para merecer ser publicada? Pensem nisso. O manuscrito não pode ser só mais um, tem de ser O manuscrito!

*Ruiva olha para o relógio* AHHHH O QUE É QUE EU ESTOU A FAZER??? TENHO DE ESCREBER! Bem, meninos e meninas, portem-se bem, I MUST WRITE! Não se esqueçam, Domingo às 21.20 no Skype: hangout do meu conto

No comments:

Post a Comment