Monday, 29 October 2012

A busca pela identidade

Sempre que dizemos adeus
Anna McPartlin
Editora: Quinta Essência
Páginas: 398

Sinopse:
Harri tenta por duas vezes casar com o amor da sua vida. Das duas vezes não consegue. Os pais esforçam-se distraí-la, mas é óbvio que sabem mais do que querem admitir sobre a sua fragilidade. Aquilo que são forçados a revelar vira o mundo de Harri do avesso. Parece que não só perdeu o noivo, mas também tudo aquilo que sempre tomou como certo. À medida que a verdade do seu passado vem ao de cima e o mundo que ela julgou conhecer se desmorona, Harri esforça-se por apanhar os cacos. Conseguirá encontrar-se novamente e, se o fizer, será demasiado tarde para o amor?
"Sempre que dizemos adeus" parece um título um pouco vago para uma história pela busca de uma identidade e outra história sobre o amor e a luta pela sobrevivência.
O que à primeira vista parece uma história provavelmente um pouco silly sobre casamentos falhados rapidamente transforma-se numa história com momentos pesados. As buscas pela identidade já foram abordadas na literatura feminina mais light por Kleypas, mas McPartlin decide introduzir um factor de humor e sobretudo algo de realismo em diversos momentos que raptam o leitor da sua monótona vida para um mundo paralelo.
As personagens secundárias têm um papel próprio na história, visto a história de Harri e Liv não ocuparem muito espaço. Contudo esse desenvolvimento traz uma lufada de ar fresco no leitor que precisa de vez em quando desanuviar dos dramas e infortúnios da vida de Liz e Harri.
“Sempre que dizemos adeus” é um livro quase impossível de não gostar, pois toca em temas sensíveis para nós enquanto pessoas e seres humanos, conscientes da nossa identidade e do nosso passado. Não podem faltar os vários finais felizes que aquecem o leitor mais sentimentalista ou simplesmente aquele que gosta de ver a ordem do mundo restaurada e os heróis recompensados.

PS: Embora a tradução tivesse já com o Acordo ortográfico, notei algumas gralhas, mas acima de tudo erros de tradução. Convinha que em futuras edições se procedesse a uma nova revisão, visto serem detalhes que se notam bem.

1 comment:

  1. Nome da sequela: "...cada um vai para o seu lado!"

    ReplyDelete