Saturday, 22 October 2011

Se colocarmos uma mulher bonita na capa, ninguém irá suspeitar do interior

Um homem imoral
Emma Wildes
Editora: Planeta
Páginas: 336

A Quinta Essência tem sido a principal divulgadora em Portugal dos romances eróticos/ românticos light, contudo a Planeta tem vindo a aumentar o ritmo no que toca a fantasia e romance. Emma Wildes apresenta o primeiro livro da série Notorious Bachelors, que nada de novo vem acrescentar aos milhares de livros nas estantes dos leitores de Jess Michaels, Lisa Kleypas e Johanna Lindsey. A prosa de Wildes é eficiente o suficiente para prender mais ou menos o leitor, quando apresentada uma história que já foi tentada milhentas vezes. Amelia é um mulher inocente, Alex é um homem com vários escândalos no seu historial. Só aqui a dicotomia inocência e escândalo leva o leitor a pensar que já sabe o que vai acontecer durante o livro. Embora Amelia não seja desmiolada (gosta de ler livros, sabe grego e latim e gosta de andar a cavalo – o que pelos vistos é melhor que nada), nem Alex seja o homem completamente imoral (a autora não chega a revelar os escândalos e preocupa-se mais em tornar Alex uma personagem digna e integra para Amelia). Pois é, nothing new, my beloved friends. Então o que leva “Um homem imoral” a ser lido? A side-plot – um escândalo entre os avós de Amelia e Alex que está muito bem construído e escrito com um ritmo bom. Nesta side-plot não há certezas e o fim surpreende até o mais experiente leitor nestas andanças.

Infelizmente é preciso ter um faro superior para com estes livros, as sinopses enganam, iludem, o preço pode ser alto demais para a resultado final e é preciso deixar de meter paninhos quentes. Felizmente a Planeta decidiu criar uma linha de livros de bolso e brevemente deverão publicar este número com um formato bem mais económico. Como leitora preocupa-me que tantas mulheres fora de Portugal escrevam sobre a mesma treta over and over again, sem inovar um bocadinho e no fim acabe por ser apenas mais um. É complicado ler vários tipos de livros como este e chegar ao fim sem conseguir escrever uma review competente. Não há simbologia escondida, personagens interessantes (sem tirar Anna Hathaway) ou temas para analisar. Creio que podíamos colocar “Um homem imoral” na secção de livros de verão.

3 comments:

  1. tb ando a ficar desiludida com alguns romances de época que são sempre a mesma coisa daí n ter mais lido madeline hunter li dois e acho que o resto é tudo igual há sempre uma toininha que se rende aos encantos do homem que só a quer como objecto e tal e dp lá chegam acordo e puff...vem outro livro e mesma coisa :(

    ReplyDelete
  2. Pois, concordo com o ser tudo a mesma coisa. Mas como ja te disse sou masoquista e gosto de ler versoes das mesmas historias.
    O que te posso aconselhar e leres Philippa Gregory ou Barbara Kyle pelo meio, assim sempre te quebra a rotina =)

    ReplyDelete
  3. http://jaestudeimae.blogspot.pt/2012/01/o-que-eu-penso-d-um-homem-imoral.html

    olha a minha opiniao

    ReplyDelete