Wednesday, 25 May 2011

So long and thanks for all the fish!


Há livros cujas críticas só são possíveis de escrever, passado algum tempo da sua leitura. Thank God it's Towel day! The hitchiker's guide to the Galaxy (ou "À boleia pela Galáxia" na edição portuguesa) foi o segundo livro de Ficção Científica que li (vamos deixar a discussão se H2G2 é mesmo FC ou não).

O livro começa com a Terra prestes a ser destruída e curiosamente é quando a personagem principalArthur Dent, descobre que o seu melhor amigo Ford, é na realidade um extraterrestre. Arthur Dent devia de agradecer esta amizade, já que Ford salva-o de ser destruindo juntamente com o seu querido planeta e começam ambos uma aventura de boleia pela Galáxia.

O que mais marca em H2G2 são as citações que ficam na cabeça e que podem ser usadas em contextos no dia-a-dia e as personagens altamente irreais e cómicas especialmente o Marvin que proporciona gargalhadas compulsivas com as suas depressões. Ao mesmo tempo Douglas Adams tem o dom de conseguir guiar o leitor para temas sérios como a vida: qual o seu significado e o que fazemos com ela? “Loathe it or ignore it, you can’t like it.” A resposta à pergunta “The Answer to the Great Question” pôs-me a pensar que a resposta está correcta - a pergunta é que está errada. Mas afinal a vida é mesmo assim, muitas vezes colocamos a pergunta errada. Queremos saber tudo – what’s the meaning of life? Why are we here? No fundo que nos interessa saber qual o significado da vida, se no fundo todos a ignoramos?

H2G2 não poderia deixar de, como já é tradicional neste género, fazer a ponte entre a inteligência dos humanos e extra-terrestres. Neste sentido os golfinhos são muito mais inteligentes que nós "whilst all the dolphins had ever done was muck about in the water having a good time. But conversely, the dolphins had always believed that they were far more intelligent than man — for precisely the same reasons.
The last ever dolphin message was misinterpreted as a surprisingly sophisticated attempt to do a double-backwards-somersault through a hoop whilst whistling the 'Star Spangled Banner', but in fact the message was this: So long and thanks for all the fish."

The hitchiker’s guide não é um livro fácil de digerir até porque peca por ser demasiado curto, com potencial para mais e embora tenha rasgos de genialidade é sempre complicado ficar com um sabor amargo na boca – queremos ler mais, mas gostaríamos que as personagens tivessem sido mais exploradas. Mesmo após meses da leitura terminada continuo a achar que o contributo mínimo de personagens do sexo feminino não lhe retira qualquer charme. Passados 32 anos desde a sua primeira edição, Douglas Adams deixou-nos motivos suficientes para carregarmos uma toalha pelas ruas e não entrarmos em pânico. Afinal o que é que o pânico resolve, quando o fim do mundo chegar?

No comments:

Post a Comment