Friday, 4 March 2011

Excessos de uma romântica

A Paixão Segundo Constança H.
Maria Teresa Horta
Editora: Bertrand
Páginas: 304

A Paixão segundo Constança H. é um hino às mulheres de ontem e de hoje, é dirigido às mulheres do antigamente - donas de casa, escravas e submissas e às mulheres modernas donas de casa, escravas e submissas que não se conseguem libertar do estereótipo criado durante anos. Constança H. tem uma paixão, que se chama Henrique, que também a ama, mas que a trai. Confusa entre o seu amor cego por Henrique e a sua dignidade a loucura irá tomando conta de si, acabando por ser internada e acusada de homicídio.
Não há muito mais que possa dizer sobre este livro, ou melhor há, mas ia ser daqueles posts gigantescos com direito a referências e tudo. Maria Teresa Horta escreveu uma obra-prima, onde a mulher é testada até aos limites da decência humana. Internada, sujeita a choques-eléctricos Constança H. é um grito de revolta às mulheres que foram durante anos sujeitas a internamentos, violência física, descriminação. Um livro chocante e poderoso.

"Marguerite Gautier morrendo, gritando o nome do seu amante, camélias da cor da menstruação postas à cabeceira..."


"Ainda se falou em lobotomia ... «Estou bem, já não me sinto revoltada», escreveu Sylphia Plath, repetindo as palavras de uma mulher internada como ela, depois de lhe terem tirado parte do cérebro."

No comments:

Post a Comment