Sunday, 7 November 2010

E agora algo completamente novo

Fenix fanzine
Nº 0
Coordenada por Álvaro Holstein

Aquando a Tertulia do fórum BBDE em Braga, estive presente quando anunciaram a criação da Fanzine Fenix. Com o meu exemplar debaixo do braço dei uma vista de olhos pela revista no comboio de regresso ao Porto. O design do interior está bastante bom, melhor do que se pode julgar pela capa. Embora este projecto seja algo pequenino, o que se deve julgar é a qualidade dos textos e mandar o design por algum tempo às ortigas e mergulhamos de cabeça em direcção aos trabalhos.


O Satélite de Natal
João de Mancelos



Já tinha travado conhecimentos com o professor João Mancelos através das participações do mesmo no fórum nacional “Escreva”. O seu currículo preenchido influenciou certamente a minha leitura, que manteve-se neutra. O conto está bom e o final é de facto um ponto a favor na narrativa pequenina, mas apela pouco ao leitor.

A fabulosa raça das Ratazanas
Joel Puga



Já referido pelo autor como um conto que precisava de alguma revisão, penso que essa revisão seria crucial no fim do conto, que pareceu feito às três pancadas. Não encontrei marcas do Joel Puga, principalmente comparando com outros contos. Se querem realmente ler algo bom para além do texto publicado na Antologia da Edita-me, penso que não devemos esperar muito até ver o Joel Puga em acção.

O homem das Terças-feiras
José Pedro Cunha



A partir da primeira frase “O meu melhor cliente nunca comprou nada” adivinha-se um pouco como a coisa se desenrola vai desenrolar, embora não tão directo em relação ao tema fantasia/ FC é dos melhores textos da revista. Bem escrito, engraçado, com um tema agradável.


O roubo dos figos
Marcelina Gama Leandro



Com um ambiente infantil e fantasioso conhecemos o amigo da Maria, o “Kni” que gosta de comer figos. Comparando com o texto da mesma autora no Jornal “Conto Fantástico” penso que o leitor termina a leitura não tão abruptamente, mas ficamos a mastigar o fim, o que é bom. Questionamo-nos quem é o Kni, será só um amiguinho imaginário, será alguma criatura fantástica?


E agora algo completamente diferente
Regina Catarino



O melhor texto da revista. Já tinha adorado o texto da mesma autora no Jornal “Conto Fantástico”, mas desta vez em vez de uma despedida trágica, temos o nonsense a funcionar. É, de facto, algo diferente e bastante revigorante.

A separata "PUMBA!" também merece algum destaque. Apercebi-me que a literatura Fantasia/ FC em Portugal é como a politica - carece de humor. Para que a situação se inverta espero mais desenhos e caricaturas para o próximo número.

Apesar do preço da Fanzine ser "simpático" - 2€ - os métodos de pagamento não são os melhores e a fanzine não se encontrar disponível em FNACS e Continentes, nem nas esquinas próximas, mesmo assim este tipo de projectos é de aplaudir, para não enjoarmos sempre dos mesmo autores e das mesmas pessoas. Escusamos de ter de ler sempre livros de autores X, que estão à venda nas mesmas livrarias. Não há nada melhor que ler um conto, de pessoas novas.

2 comments:

  1. Concordo no que diz respeito ao método de pagamento, mas tendo em conta a natureza da publicação seria difícil outro método de distribuição. Uma maior clareza e simplicidade no processo de compra seria o suficiente.

    ReplyDelete
  2. Obrigado por falares do fanzine.

    Mais que uma vez tem "vindo a lume" as questões da distribuição e pagamento e por isso seria interessante ficar a saber que outras alternativas gostariam de encontrar. É de referir que a transferência é o meio mais barato e mais simples pois pode ser feita de variadíssimas formas. Pagamentos por Paypal ou pelos Correios à cobrança ficam muito mais dispendiosos.

    Já a distribuição apresenta um problema similar, só que ainda mias complexo, pois exceptuando uma ou outra pequena livraria ou a participação nalgum evento, o envio pelo correio é mesmo a única forma.

    ReplyDelete